Wanessa Camargo fala sobre acusação de agressão a Davi no BBB 24: “Não acho que foi justo”

Entretenimento
Destaque
Publicado em 19 de março de 2024, 13:25 |
Modificada em 19 de março de 2024, 13:25
Vanessa Camargo

compartilhe :

Cantora comentou o assunto em uma entrevista ao Fantástico, que foi exibida neste domingo (17)

Wanessa Camargo deu uma entrevista ao programa Fantástico, exibida neste domingo (17), falando sobre sua desclassificação do BBB 24 por agressão ao participante Davi.

Na conversa, Wanessa comenta que não achou que o “fair play” utilizado por Davi foi justo e relembra um momento do jogo no qual afirma que também poderia ter acusado o brother de agressão.

“Eu tava ali, numa festa, e bebi um pouco mais da conta, estava super animada. Fui brincar na cama, e aí, dançando com os braços, eu lembro que minha mão encostou na cama e resvalou, deu um esbarro no pé do Davi, e, na hora, eu percebi que tinha sido inconveniente e pedi desculpas a ele”, disse ela.

“Eu fui dormir e acordei com um ‘pééé’ ensurdecedor, ‘Wanessa, confessionário’. E eu até falei, ‘Meu Deus, o que é que eu fiz?’ Fui do jeito que eu estava, sem sutiã, com pijamão, sentei no confessionário e recebi a notícia de que eu tinha sido desclassificada por agressão. E fui embora aos prantos”, continuou.

“Sobre o prisma de dizer que é justo, sobre a regra do programa, eu acho que foi justo. Sobre o fair play, ser fair play, eu não acho que foi justo”, pontuou a cantora.

Ao ser questionada se a situação fosse oposta, ela disse: “Na verdade, aconteceu o oposto. A gente estava brincando de ‘pique bandeira’ e ele, sem querer, me deu uma rasteira, que chegou a me machucar, foi bem forte, e eu entendi que aquilo não foi proposital e eu jamais levaria isso para algum lugar de agressão”.

“Quando essa acusação aconteceu, eu me surpreendi”, acrescentou Wanessa. “Eu poderia também ter usado essa regra ao meu favor”.

Durante a entrevista, a artista também falou sobre como se assustou de ter sido chamada de racistas por internautas e que entendeu que alguns termos usados para se dirigir ao participante se enquadram no racismo estrutural. “O que eu reconheci é que sou uma pessoa branca, privilegiada, e que eu nunca vou saber como algumas palavras que, pra mim, não têm nenhum efeito, podem ter sido sensíveis a outras pessoas”.

Veja a entrevista completa abaixo:

Veja Também

efesptwelve138107-1024x683
DestaqueNotícias
Shopping Basket

.AO VIVO

93,5 FM